Neuro-News

separador

Prevenindo outro AVC

Publicado em 03/10/2013

Para prevenir um novo AVC é fundamental que os fatores de risco citados anteriormente sejam prontamente identificados e tratados. As principais recomendações são:

Hipertensão arterial

A hipertensão arterial deve ser adequadamente tratada. É comum que logo após um AVC isquêmico os níveis de pressão arterial considerados como adequados sejam mais altos do que os recomendados para pacientes após a fase aguda. No entanto, após a alta hospitalar recomenda-se que os níveis pressóricos sejam periodicamente checados e que medidas medicamentosas e não medicamentosas sejam introduzidas em caso de hipertensão arterial.

As principais medidas não farmacológicas são uma dieta balanceada com baixos teores de sal, assim como a realização periódica de exercícios físicos. Existem diversas medicações que podem ser utilizada no tratamento da hipertensão arterial e cabe ao médico em conjunto com o paciente realizar a escolha pesando os riscos e benefícios de cada droga.

Diabetes Melitus                                                      

O controle adequado dos níveis glicêmicos em pacientes diabéticos não tem um impacto tão direto no risco de apresentar um AVC assim como o tratamento da hipertensão arterial. No entanto, alguns estudos mostram que na fase aguda pós AVC isquêmico tratado com medicação trombolítica, altos níveis de glicemia ( taxas de açúcar no sangue) se correlacionam com um maior risco de complicação hemorrágica. Também é sabido que o controle glicêmico é importante para a prevenção de outras condições cardiovasculares além do AVC. Os níveis de pressão arterial em pacientes diabéticos devem ser controlados mais rigorosamente do que em pacientes não diabéticos.

Altas taxas de Colesterol

Um estudo recente mostrou que pacientes tratados com medicação para abaixar o colesterol do tipo estatina apresentam um menor risco de recorrência de AVC. O tratamento de altas taxas der colesterol também funciona como prevenção das doenças cardiovasculares como o infarto agudo do miocárdio.

Tabagismo

Atualmente existem medidas não medicamentosas e medicamentosas diversas que podem ajudar pacientes a deixar de fumar. O tabagismo é um grande fator de risco para AVC e deve ser combatido. A conscientização dos pacientes e famílias da importância da cessação do tabagismo faz parte integral do processo educacional pós AVC.

Sedentarismo

O exercício físico moderado ajuda a controlar os níveis de colesterol além de promoverem melhora no condicionamento cardiovascular. Exercícios físicos moderados devem ser sempre realizados com acompanhamento de profissional competente.

Doenças cardíacas

A arritmia cardíaca fibrilação atrial deve ser prontamente identificada, pois é uma das maiores responsáveis por acidentes vasculares cerebrais em paciente idosos. Essa arritmia pode ser tratada quando não há contraindicações com medicações anticoagulantes do tipo warfarina. Existe também a opção de tratar esses pacientes com medição antiplaquetária como a Aspirina quando há contraindicação ao uso da warfarina.

Postado em: 03/10/2013
 
 
© 2012 - Todos os direitos reservados - Neurotrat